segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Evento: Bordar, criar e compartilhar - atividades de 01 a 06/03.

Uma viagem pelo bordado brasileiro, através das tradições, criação e produção de grupos de várias regiões do país.
O evento terá Exposição, Oficinas, Prosa e Bordado (bate-papo com os grupos) e Diálogos (palestras).

Curadoria: Beth Ziani
Cenografia: Anne Vidal

De 18 de fevereiro a 13 de março de 2011
Sala de Oficinas 1 e Sala de Leitura – 2º andar - Sala de Leitura – 2º
SESC Pinheiros – Rua Paes Leme 195, São Paulo


OFICINAS

A Magia do Bordar - uma vivência coletiva em que os participantes são envolvidos no universo tátil e visual do pano de juta, das lãs e suas cores, possibilitando trocas nas experiências individuais e enriquecendo o repertório dos participantes. Pedro João Cury (São Paulo).
Dias: 01/03 a 04/03. Terça a sexta, das 10h às 12:30. Sala de Oficinas 1, 2º andar. Acima de 15 anos, ambos os sexos, desde que não sofra de alergia a poeira/renite alérgica. 25 vagas. Inscrições no local 30 min antes. Grátis

Ilustrando bordando - a partir das técnicas de colagem de tecido e bordado, busca-se proporcionar a vivência de ilustrar as próprias histórias escritas. A proposta é trabalhar a poesia como estímulo à criação de texto e do desenho usando depois técnicas de ilustração em tecido bordado. Ana Thaís Feitosa e Maria do Carmo Cavalcante (Ceará).
Dias: 01/02 a 04/03. Terça a sexta, das 14:30 às 17h. Sala de oficinas 1, 2º andar. 25 vagas. Inscrições 30 min antes. Grátis

Tecendo imagens de carnaval - a oficina aproveita o período de carnaval para estimular essa tradição através do bordado. A partir de canções carnavalescas, cantiga de roda, da memória de fantaias, adereços e dos bailes de carnaval, os participantes desenvolverão um painel coletivo que retrate essa festa tradicional da cultura brasileira. Grupo Teia de Aranha.
Dias 05/03 e 06/03. Sábado e domingo, das 10:30 às 13h e das 15h às 17:30. Sala de Oficinas 1, 2º andar. A partir de 10 anos. 30 vagas. Inscrições no local 30 min antes. Grátis.


PROSA E BORDADO - RELATO DE EXPERIÊNCIA E BATE PAPO
Dia 02/03. Quarta, às 19:30. Sala de oficinas 1, 2º andar. Acesso livre até o limite de vagas. Grátis

Bordadeiras do Morro de São Bento (Santos) - inicialmente composto por seis mulhere nascidas na Ilha da Madeira (Portugal), que tinham a tradição do bordado em suas mãos. Em meados de 1980 aproximadamente 60 senhoras fundaram a União das Bordadeiras do Morro São Bento.

Tecendo nossa história (São Paulo) - o projeto trabalha para que o ser humano reconheça suas potencialidades e permita nascer o desejo e a capacidade para planejar o próprio futuro. Atua junto àqueles que sofrem com a exclusão cultural, social e/ou econômica, para que eles possam buscar e criar outras realidades.


DIÁLOGO E REFLEXÕES - SOBRE O BORDADO NA CONTEMPORANEIDADE

Dia 01/03. Terça, às 19:30. Sala de oficinas 1, 2º andar. Acesso livre até o limite de vagas. Grátis
A Arte como instrumento de comunicação - um breve hitórico sobre a arte de bordar e o bordado na literatura infantil. Com Ana Thaís, nascida no interior do Ceará, teve sua infância povoada de histórias, brincadeiras e cantigas. Na educação encontrou o caminho para sua realização pessoal. Atua em programas de formação de professore e coordena o projeto Nas Ondas da Leitura, mobilizando a família e a escola para o estímulo à leitura e à escrita. É autora dos livros A Gata Borralheira, entre outros, ilustrados com bordados.
Literatura e Bordado - a experiência de bordar a partir de textos literários e a aplicação desses resultados como novos meios de estímulo à leitura e à criação. Com Beth Ziani, pós-graduada em Literatura. Integra o Grupo Teia de Aranha. Idealizadora do projeto De Danúbio ao são Francisco, Guimarães Rosa para todos. Desenvolve o projeto Memória Viva do Sertão. Coordena o Núcleo de Pesquisa Literatura Viva.

Dia 03/03. Quinta, às 19:30. Sala de oficinas 1, 2º andar. Acesso livre até o limite de vagas. Grátis
Os fios que dão sentido - o trabalho com bordado constitui uma caminhada, que se distingue por um construir não apenas de imagens que nos falam 'costuradas' sobre pano, mas, acima de tudo o que se descortina. É o entendimento do bordar como um passo a passo mais próximo de uma reflexão sobre o que significa o ato de fazer. O tempo de bordar torna-se o do próprio viver. Com Pedro João Cury, instrutor na área de Criatividade, Valores Humanos e Empreendedorismo em programas para grupos de jovens e adultos em situação de risco e conflitos com a lei, professores e agentes sociais. Artista plático trabalha com bordados produzidos com panos de juta, lãs e linhas, na idealização e consstrução de uma escola de arte-educação, para formação do artesão-aprendiz através do lema A Arte Vale Uma Escola.
Como faço e porque faço - a importância do bordado na atualidade. Com Claudia Johnsen, arte-educadora, coordenadora do Grupo de Bordadeiras de São Joaquim (São Paulo/Carapicuíba), desenvolve trabalhos com o Grupo do Bordadeiras de Andrequicé (Minas Gerais).

Nenhum comentário:

Postar um comentário