terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Com prostituta, sequestro e assassinato, HQ faz crônica da violência urbana e lembra rap

Aquele moleque sobrevive como manda o dia a dia
Tá na correria, como vive a maioria
Preto desde nascença, escuro de sol
Eu tô pra ver ali igual, no futebol
Sair um dia das ruas é a meta final
Viver descente, sem ter na mente, o mal

(Trecho da música "Mágico de Oz", do grupo Racionais MC's.)



Quem chega despreparado às páginas de "Fiapo e La Peña" (Devir, 2010), do quadrinista gaúcho Danilo Fonseca, pode se assustar. Os desenhos inocentes de cartum escondem um relato cru da violência urbana e seus efeitos avassaladores sobre as crianças de rua, como uma música de rap.

No quadrinho, Fiapo é um garoto que vaga pelas "quebradas" da região central de São Paulo. Vive dividido entre a criminalidade e o heroísmo. A todo o momento, porém, atravessa triunfalmente a barreira que o tornaria apenas mais integrante da horda de meninos drogados e fora-da-lei ignorados pelo estado. Contraria o que todos esperam de seu estereótipo.

"Trombadinha" da cracolândia e detetive argentino vivem aventuras em HQ

Ele conhece La Peña, um detetive particular argentino com cabelos empastados com brilhantina, bigodinho e terno branco, num estilo que remete aos tempos de Carlos Gardel. Os dois se tornam parceiros no combate à gangue de Tonelada, comandante do crime organizado da região e força motriz da maior parte das tragédias que acontecem por lá.

*
Tem o instinto, que a liberdade deu
Tem a malicia, que cada esquina deu
Conhece puta, traficante, ladrão, toda raça
Uma par de alucinado e nunca embaçou
Confia neles mais do que na polícia
Quem confia em polícia, eu não sou louco

(Outro trecho de "Mágico de Oz".)



Chacinas, assaltos a mão armada, amores brutalmente separados por brigas de gangues, morte de prostitutas e sequestros estão no cotidiano do garoto, que sempre tem uma aventura pela frente quando o objetivo é chegar vivo ao dia seguinte.

No entanto, longe de ter uma existência de tristezas, o menino tem suas alegrias, como quando recebe um beijinho quando salva uma garota do perigo ou se farta de comer em uma parada no botequim bancada por La Peña.

Além do detetive argentino, o protagonista mirim conta com a ajuda e a companhia dos diretores de uma ONG para crianças de rua e de um mendigo delirante chamado de profeta.

Planejado também para ser uma série -ainda não concretizada-- de desenhos animados, a história tem como música tema a canção "Mágico de Oz", composta por Edy Rock, dos Racionais MC's, principal grupo de rap nacional.

Danilo Fonseca é ilustrador e trabalha com animação. De acordo com o próprio autor, uma de suas principais referências na criação de "Fiapo e La Peña" foi os trabalhos de Will Eisner, famoso por fazer crônicas em quadrinhos da cidade de Nova York.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/843112-com-prostituta-sequestro-e-assassinato-hq-faz-cronica-da-violencia-urbana-e-lembra-rap.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário